14 de fevereiro de 2017 • 12:11 am

A Melhor Política

Quando a escuridão caiu sobre a educação

Democratizar acesso ao conhecimento é a maneira mais eficaz de empoderar uma nação, principalmente quando a história dela tenha sido escrita sobre o escravagismo e outras formas de exploração dos seus empobrecidos. Conhecer é uma energia de libertação. O embate da cultura de massa em países como o Brasil, já atrapalhava o rol de prioridades […]

Democratizar acesso ao conhecimento é a maneira mais eficaz de empoderar uma nação, principalmente quando a história dela tenha sido escrita sobre o escravagismo e outras formas de exploração dos seus empobrecidos. Conhecer é uma energia de libertação.

O embate da cultura de massa em países como o Brasil, já atrapalhava o rol de prioridades para a juventude, que enceguecida pelo direcionamento consumista abriu mão da identidade questionadora, transformadora, que outrora lhe era delegada, para pertencer a guetos em sua maioria, orientados por segmentos de mercado, percebido este desde a indumentária à tecnologia manuseada.

Porém, nada parecia pior do que o que agora se apresenta, principalmente para a juventude pobre, com base na dita reforma do Ensino Médio, que neste momento é uma realidade.

Ainda não podemos prever com segurança os efeitos negativos de um currículo que prepara para voos baixos, rasteiros, visando apenas a sobrevivência. A luta para ocupar espaços acadêmicos será mais renhida, o autodidatismo precisará compensar os saberes próprios das áreas não-obrigatórias, que apesar disso são insubstituíveis .

As políticas que o Estado brasileiro implementa na atualidade, condenam a infância, juventude, vida adulta e velhice a uma derrocada jamais presumida para este século. Mas se do caos pode vir a mudança para melhor, que nossos jovens acionem o botão da coerência para se engajarem em projetos válidos, caso contrário teremos mais perdas do que sabemos suportar.

Uma longa noite se abate sobre o sistema educacional brasileiro.

3 Comentários

  1. ODEIAM O CAPITAL, MAS ADORAM ENCHER AS BURRAS E CUECAS!
    Joilson Gouveia*
    Já havíamos dito, escrito, editado e reiterado que a nossa anelada, buscada e querida “redemocratização” fracassara – como se nunca tivéssemos vivido e a viver numa real, proficiente e profícua Democracia -, no período em que o Brasil e os brasileiros e as brasileiras honestos, honrados, decentes e trabalhadores dignos e de bem fomos salvos dos comuna-socialistas e de sua ditadura-do-proletariado, entre 1964 e1985, cuja “salvação” fora instada pelo próprio Congresso Nacional de antanho, até à chegada da “Nova República” – vide em nosso Blog, a saber:
    a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/06/os-antipodas-vida-e-as-liberdades.html ;
    b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/08/reproche-ao-agnostico-leitor.html;
    c) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/10/redemocratizacao-fracassada-direita.html;
    d) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/11/eramos-felizes-ah-como-eramos-felizes.html.
    Entrementes, em sete lustros de governos democráticos, dos ditos progressistas escarlates, o que temos visto, assistido e lido nas tevês, redes sociais mundiais e páginas e cadernos policiais da tal “mídia golpista” (ou PIG), a mesma que disseminou o gramscismo aos incautos, ignaros e pueris inocentes úteis da linha-de-frente lobotomizados, mas nada ingênuos, porquanto integrantes e militantes escarlates que os elegeram, democraticamente – admitindo-se ter havido eleições; claro! Nessas invioláveis e seguras urnas eletrônicas, quando “o voto não decide nada, quem os conta é quem decide tudo”! Stálin -, mormente ao atual “presidente-em-exercício”, sucessor guindado pela “queda, sem coice”, e duas vezes VICE deLLes, e que, agora, vociferam esbaforidos bramidos iracundos de “FORA, TEMER!” Seria hilário senão risível, trágico e ignominioso ou inescrupuloso e criminoso!
    Criminoso? Sim! Porque procedem tal e qual outrora, os idos da indigitada, mentirosa e odiosa “ditadura-militar” – antes, revoltados com o triunvirato militar, para realizações de novas eleições, os insurretos, subversivos, sublevaram e foram às armas e guerras de guerrilhas urbanas e rurais, com suas várias facções comuna-socialistas clandestinas: ALN – aliança libertadora nacional; PCO – partido da classe operária; PCB; partido comunista do Brasil; COLINA – comando de libertação nacional; MR8 – movimento revolucionário 08 de outubro; VAR-Palmares – vanguarda armada revolucionária et caterva, que pugnavam pela ascensão e imposição da ditadura-do-proletariado ou o retorno do VICE deposto: Jango!* – hoje, legalizados muitos desses “movimentos sociais” trasvestidos de “partidos” ou ORCIM’s, como provados nas delações premiadas obtidas e divulgadas nas mais variadas operações policiais hodiernas. *Jango ou João Goulart, fora vice de Jânio Quadros, que renunciara devido “as forças ocultas”!
    Eis que, agora, a estratégia é usar outras facções de matizes escarlates, mas todas sentenciadas, condenadas e presas ou sucursais das FARC aliadas aos último desgovernos. Antes e outrora, foram presos na “ditadura” e, agora, “presos na democracia” e preso já estando preso, como o Zé Dirceu, no mensalão e no PTrolão, mas continuam no “partido”! Que partido, não?
    Aliás, notem bem: antes se diziam perseguidos políticos e presos-políticos, todos torturados, conforme orientação de Mário lago, bem por isso, conseguiram polpudas indenizações, graças à caolha, míope e estrábica ou imparcialíssima CNV – Comissão Nacional da Verdade! Hoje, anelam indenizar seus integrantes mortos por desafetos concorrentes de facções de narcotraficantes presos. O vil metal é sempre o desiderato deLLes!
    Doutra banda, como solução imediata e urgentes às rebeliões, motins e revoltas, pensam e sugerem, além das benesses graçolas indenizatórias, construírem mais “hotéis” para eLLes, todos dotados de bibliotecas, como se fossem amantes da leitura e dos estudos ou fora educado algum dia na vida: como reeducar alguém que nunca fora educado?
    Como entender? Se não há verbas para Educação, Saúde, Segurança, Infraestrutura, mobilidade urbana, transportes e etc., mas há para “construção de modernas penitenciárias, bibliotecas e polpudas indenizações às famílias dessas “vítimas” de outras “vítimas da sociedade ou excluídos sociais”, mas nunca houve nem haverá às vítimas desses coitadinhos condenados?
    Outra: por quê O Estado e/ou a União deve manter e sustentar os “partidos” mediante fundos partidários aos trinta e cinco partidos? Pode até ser legal, mas imoral, amoral e anômalo senão desmoralizante, mormente diante de uma “crise”; ou, na verdade, não há nem nunca houve crises! Ou não?
    Abr
    *JG
    P.S.: Quem irá fiscalizar, supervisionar, controlar e pagar essas indenizações, a CNV?

  2. O HOJE É MERO REFLEXO DO ONTEM; OU NÃO?
    Joilson Gouveia*
    Houve um tempo em que a “imprensa-livre”, reclamada por tantos e inúmeros “agentes de transformação social”, em que se transformaram os jornalistas, repórteres e profissionais de comunicação de massas, buscavam noticiar os fatos, mormente após constatação veraz de sua autenticidade confirmada e atestada quando não “investigavam” a fundo, sobretudo as causas e ligações dos fatos noticiados aos personagens que protagonizavam eventos inusitados, inesperados ou anormais ou incomuns, como os havidos em São Paulo, em passado recente, atribuídos ao PCC – Primeiro Comando da Capital, facção concorrente ou sucursal do CV – Comando Vermelho, “criados”*, organizados, estruturados e adestrados por intelectuais de esquerda, quando “hóspedes” da Ilha Grande.* Comando Vermelho. A História Secreta do Crime Organizado, de Carlos Amorim, apud Olavo de Carvalho: “As esquerdas e o Crime Organizado”, p.97 in A Nova Era e a Revolução Cultural. 4ª Edição, revista e aumentada. Vide Editorial. Campinas/SP. 2014. – “é uma obra de valor excepcional, cuja leitura se recomenda a todos os brasileiros que se preocupam com o futuro deste país. Futuro do qual se pode ter um vislumbre pelas palavras de William Lima Silva, o “Professor”, fundador e guru do Comando vermelho, citadas à p. 255”, a saber:
    “Conseguimos aquilo que a guerrilha não conseguiu: o apoio da população carente. Vou aos morros e vejo crianças com disposição, fumando e vendendo baseado. Futuramente, elas serão três milhões de adolescentes, que matarão vocês [a polícia] nas esquinas. Já pensou o que serão três milhões de adolescentes e dez milhões de desempregados em armas?” Sic.
    “Coincidências não existem”, como assestado, apregoado e divulgado por renomado blogueiro pioneiro, que se fez e se diz “jornalista” das tevês Educativa e Gazeta de Alagoas, mas que é, também, profícuo “assessor parlamentar júnior da presidência do senado”(?), um exímio vidente das coisas passadas, presentes e futuras e expert analista das conjunturas em suas conjecturas estribadas no modus operandi de Joseph Paul Goebbels e Antonio Gramsci senão nas cartilhas marxista, leninista e lula-petista, cuja verve busca desconstruir, desconstituir e destruir os fatos e dissimular a realidade e macular e minar reputações de pessoas e desacreditar Poderes, Instituições e Órgãos republicanos. É típico e práxis dos escarlates!
    A eclosão explosiva dessas atuais rebeliões presidiárias, assim como aquelas havidas há dois lustros na capital paulista, têm por fito, desiderato e objetivo precípuo desviar o foco e a atenção do noticiário e da mídia ou da “imprensa-livre” e, sobretudo, dos “agentes de transformação social” em que se transformaram, para escamotear, dissimular e ludibriar à “opinião pública” do principal assunto que tentam encobrir: a prisão, julgamento e eventual condenação de um mefistofélico maléfico “Penta-Réu” e de sua “criatura” e, também, da eventual, imediata e incontinenti cassação da “chapa-vitoriosa” do mais escabroso, inescrupuloso e criminoso ESTELIONATO ELEITORAL havido na história das democracias mundiais: Eleições Presidenciais, de 2014; comprovadamente bancadas pelo “propinoduto”, de argirocratas escarlates e de outros matizes encarnados da “coalizão-vitoriosa”.
    Em suma, as duas maiores facções criminosas suso citadas, mormente após o Foro de São Paulo, quando o Brasil se tornou o principal aliado e forte parceiro das FARC, disseminou e pulverizou seus tentáculos nos intestinos deste país e fez recrudescer o narcotráfico, mormente de cocaína – ver ilustração abaixo. Há mais de cinco dezenas de filiais espraiadas nas cadeias, presídios e penitenciárias brasileiras.
    Abr
    *JG
    P.S.: Por quê trouxeram Beira-Mar, para passar umas férias nestes rincões caetés?

  3. QUEDA DA EDUCAÇÃO NA “ESCURIDÃO”: AFIRMAÇÃO, INDIGNAÇÃO, EXCLAMAÇÃO OU INDAGAÇÃO?
    Joilson Gouveia*
    Insto aos distintos, dignos e respeitados leitores visitarem ao endereço seguinte e aqui citado, a saber: http://reporteralagoas.com.br/novo/quando-a-escuridao-caiu-sobre-a-educacao/, no qual sua autora retrata a queda de uma escuridão na educação, do Brasil e dos brasileiros e das brasileiras, especialmente da juventude tresloucada, transviada e perdida ou libertina, mormente em face da gestão da inusitada, inesperada e inovadora “pátria educadora” de um desgoverno escarlate de esquerdistaPATAS desses mais de seis lustros: de lembrar que, desde a debacle redemocratização, os governos foram geridos, gestados e dirigidos por “empoderados” partidos de matizes de mais de cinquenta tons escarlates, encarnados ou vermelhos. Ou não?
    A negritude obscura ou escuridão sombria e temerária da Educação é, por conseguinte, mero reflexo resultante da inconsequente, incoerente e intransigente ou intolerante, descabida e desvirtuada apologética ideologização ignominiosa, inescrupulosa e criminosa de “empoderamento” de crianças e adolescentes que a tudo podem e a tudo devem, até mesmo mudarem de sexo, como anelado, proposto e defendido por certos parlamentares, menos serem orientados, instruídos, obrigados ou exigidos a estudar e/ou trabalhar – só o trabalho dignifica o homem in genere – sobretudo e principalmente depois do indigitado ECA e programas de erradicação do trabalho infantil, destituição e cassação do pátrio poder, lei-da-palmada e etc., dentre outros quejandos degenerados e degenerativos ou desrespeitosos aos valores e princípios axiológicos éticos, morais, históricos, culturais e cívicos.
    Defenestraram, desprezaram ou olvidaram aos escólios pitagóricos de seu aforismo axiomático: “educai as crianças e não será preciso castigar os homens”! Ou não?
    Entrementes, há iluminadas réstias de esperanças nalgumas das dezenas ou centenas de escolas que preservaram referidos valores educacionais fundados no respeito, disciplina, obediência, esmero e organização castrenses dos colégios militares espraiados por esse espoliado, depenado, aviltado e achacado quando não desviado, doado e perdoado “país”!
    Por que são contra à “lei-da-escola-livre”, alcunhada pela pecha de “lei da mordaça”, que busca proteger nossas crianças e adolescentes da voraz gana insana e ensandecida de “pensadores-críticos-progressistas”? Estes não mais se contentam em “fazer a cabeça” de secundaristas e universitários atoleimados lobotomizados e “inocentes-úteis da linha-de-frente” reféns de gurus escarlates; ou não?
    As sombras enegrecidas ou referida escuridão, na Educação, são meras consequências da debacle redemocratização; ou não?
    Temos dito, repetido e reiterado – visitem, busquem e leiam sobre o tema em nosso Blog!
    Abr
    *JG

Deixe o seu comentário


© 2012 - 2014 Repórter Alagoas. Todos os direitos reservados. E-mail: contato@reporteralagoas.com.br Jornalista responsável: Odilon Rios - MTB 840 / AL